Registro Brasileiro

Registro Brasileiro de Nutrição Parenteral – Estudo multicêntrico, prospectivo, observacional a fim de traçar o perfil da utilização da nutrição parenteral nas unidades de terapia intensiva brasileiras.

Introdução: A terapia nutricional é um aspecto importante de suporte em Unidade de Terapia Intensiva e pode influenciar na evolução do paciente. Muito pouco se sabe sobre a forma como esta importante terapia é utilizada em pacientes criticamente enfermos. Ao mesmo tempo, não existem dados que indiquem se a prática corrente da nutrição parenteral no Brasil está de acordo com o que está predito pelos últimos guedelines internacionais para uso de nutrição parenteral.

Objetivos: Traçar um perfil dos pacientes que fazem uso de nutrição parenteral no Brasil, estabelecendo diversas relações incluindo idade, sexo, diagnóstico de base, meta calórica, tempo para início da terapia nutricional parenteral, duração da nutrição parenteral e tipo de lipídeo utilizado.

Métodos: Este estudo multicêntrico, prospectivo e observacional foi conduzido em 20 unidades de terapia intensiva de adultos nos hospitais públicos e privados brasileiros. Foram incluídos todos os pacientes com indicação clínica para nutrição parenteral admitidos nessas UTIs por um período de 120 dias consecutivos (4 meses) no ano de 2006. Estes pacientes foram acompanhados durante o período que permaneceram em nutrição parenteral.

Resultados: A análise interina deste estudo com 166 pacientes demonstrou que 63,69% são do sexo masculino e 77,78% considerados desnutridos. A média do escore SOFA foi de 6,21, com média do APACHE de 19,39. 97,23% das nutrições parenterais utilizadas neste estudo foram manufaturadas por empresas terceirizadas o que foi associado com significativo atraso no início da infusão (mediana de tempo de 29,76 horas), elevada mortalidade na UTI (50%) e hospitalar (55,17%). 24,29% dos pacientes estavam imunossuprimidos. A principal fonte lipídica utilizada foi LCT/MCT (80,69%)..

Conclusão: O uso de nutrição parenteral no Brasil esta associado a um atraso no início da infusão e elevada mortalidade. A fonte lipídica mais utilizada (LCT/MCT) tem sido associada com maior apoptose e comprometimento da proliferação linfocitária. Os principais achados deste estudo indicam que estratégias para reduzir o atraso no início da oferta da nutrição enteral e a utilização da melhor fonte lipídica deve ser adotada a fim de prover melhor assistência para pacientes que necessitam de nutrição parenteral no Brasil.

Empresa patrocinadora: Baxter Hospitalar Ltda

Status do estudo: Concluído.

Eventos

Nenhum evento disponível no momento.

Educação continuada

Nenhum curso disponível no momento.